sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

CAMINHOS DO BARRO I

Com a autorização dos autores, vão aqui alguns textos criados durante as oficinas de cerâmica.

COMPARTILHAR

- Vanêssa Amaral

E o homem se faz natureza

Mãos no barro, nas entranhas da terra

E no arder do fogo

Então produz e volta à natureza

Resgatando de si em em si tudo o que é falta,

o que é incógnita

Traz para si, o canto e o encanto, as cores,

o movimento

E se faz feliz

Partilha migalhas, restos de amor

Presença e falta.

*************************************************************************** GUARDIÃO - Ricardo Macedo Dentre todos os caminhos até agora por mim percorridos, um deles, talvez o mais novo, se desenvolve de modo muito especial: "o caminho do barro". Por ele trilho os meus devaneios, sonhos e agradecimentos. Na lida com a massa fria, esquentada com minhas emoções, através de minhas mãos, surge algo inesperado, ou talvez não, apenas adormecido, acordado vigorosamente, com a altivez de um guardião, que usa não armas e sim, as mãos e a sensibilidade para criar. *************************************************************************** 2008 - Ceci

Amar Criar

Recriar Inventar

Sonhar Realizar

Começar de novo

Consciência e Arte

Palavra e Trabalho

Exercício de Viver

Mãos nas mãos,

Mãos no barro

Construir

Desmanchar

Construir de novo

Refazer o caminho do sonho

E com ternura, realizar cada sonho!!!

Amar e amar sempre!

14 comentários:

titolivio.zip.net disse...

Bom final de semana...

Dad disse...

Que bom ter encontrado alguém com o seu alto astral! Fantástico! Obrigada por ter visitado o meu Momentos de Luar e seja muito bem vinda pois a sua chegada enriquece espiritualmente o meu espaço.

Agora estou um bocado a correr mas logo que possivel vou apreciar os seus dois blogs com cuidado.

Grande beijinho e um feliz ano 2008 pleno dessa energia saudável que nos faz viver bem connosco e com os demais caminhantes nesta Terra que nos foi emprestada.

Beijinho grande,

Osc@r Luiz disse...

Requer habilidade em dobro: com o barro e com as palavras.
Peco em ambas!
Um beijo!

Anônimo disse...

"Construir,Desmanchar, Construir de novo". É assim que me sinto ao descobrir o hai cai, e ontem mesmo comecei a me exercitar nessa arte. Já fiz uns vinte. Acho que foi por ser uma poesia transcendente, voltada para a natureza, com objetivos zen, triádica (três versos) como vejo minha natureza, o motivo dessa paixão repentina. Vejamos no que vai dar. Meu beijo. Jota Effe Esse.

Maria Augusta disse...

Vim conhecer este teu cantinho e vejo que ele é cheio de otimismo e arte. Parabéns! Um beijo e uma linda semana para você.

Lino disse...

Uma oficina que modela, ao mesmo tempo, o barro e as palavras. Ótima, é o que se pode dizer.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Merci, amie Ceci , pour votre visite à mon petit coin de verdure. Comment m'avez-vous découverte ? Vous êtes aussi une balance, je vois. Nous allons bien nous entendre ! Et je vous souhaite également une excellente année 2008!
A bientôt, j'espère !

Saramar disse...

Ceici, que coisa mais linda!
Os artistas das mãos e do barro, são completos porque a sensibilidade de quem assim se manifesta é maior, mais telúrica e perfeita.
As palavras que você mostrou provam isso.
Obrigada por compartilhar.

beijos

Márcia(clarinha) disse...

Que bom saber de tudo isso e admirar mais ainda os artistas de verdade.
Feliz 2008 querida, com paz, amor, saúde e muita arte!
dias lindos, beijos

dácio jaegger disse...

Se o homem do barro foi feito e a ele sempre retorna e não é espanto que este barro fale, pense e cante, então, Aleluia!
*Te aguardo no Chega! Não gostou do roubo que te fiz? rs.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Tu as tout-à-fait raison, Ceci, on s'était déjà rencontrées. Excuse-moi, je suis une tête en l'air et mes neurones disparaissent avec le temps... Tu écris parfaitement le français, tu es d'origine française ?
Mes parents sont aussi tous les 2 lucides et je sais également qu'un jour il faudra bien que je les perde ici sur terre mais comme je suis croyante, je suis certaine qu'ils me protégeront quand ils arriveront au ciel, c'est ce que je leur ai dit quand ils m'ont dit "c'est peut-être la dernière fois qu'on se voit " et cela leur a réchauffé le coeur.
Bisous tous verts

Roseane disse...

Muitas coisas bonitas por aqui. Feliz 2008!!!

Claudinha disse...

Olá Ceci! O barro, contato direto com a mãe terra e a mãe água para lembrar a origem de tudo. O barro dá vazão à imaginação, criatividade e construção, não só material, como se vê nestes ótimos textos aqui, parabéns querida! Parabéns aos autores! Beijos!

Taís Morais disse...

tudo que é feito de barro quebra....

To aqui te lendo Cecilinda...

um beijo da Taís