segunda-feira, 15 de setembro de 2008

CHEGANDO

Amigos, Cheguei bem, graças a Deus! De Gran Canária, a experiência forte e viva, da convivência familiar, da paisagem rochosa, da alegria dos habitantes e seus desafios: transformar o meio amgiente rochoso em verdejantes e floridos bosques e jardins; assegurar qualidade de vida e sustentabilidade para todos os habitantes; tornar a vida possível em todas as suas dimensões. E ao mesmo tempo praticar o acolhimento, a esperança, a alegria.
A ilha aproxima, nutre seus filhos de um espírito de amizade e grande amor à terra. Os Guanches lembrados pelos desenhos recuperados pelo Patrimônio, dão sinais de sua longa presença na História das ilhas.
Mas, como acontece entre todos nós humanos, o fatídico vôo da SPANAIR que resultou no acidente desse agosto, em Madri, causou consternação geral em Gran Canária, pela perda de 79 habitantes da ilha - entre 159.
Gran Canária chorou. A solidariedade marcou aqueles dias como nunca se poderá esquecer: o silêncio nos mercados, no comércio, nas escolas, nos hotéis, por toda parte se viam rostos marcados pela dor, fosse de um vizinho ou do conhecido do primo, do amigo dos noivos que voltavam de sua lua-de-mel, para sempre interrompida.
Assim, embora a viagem tenha sido nutrida de muitas alegrias, preciso registrar a agonia da gente canária. Por respeito e admiração.
Agradeço a Deus meu retorno sã e salva, e todas as experiências de que desfrutei nesse tempo. Para cada um que visitou este blog, mantendo vivo nosso elo, meu abraço de ternura e meu muito obrigada!

9 comentários:

Jota Effe Esse disse...

Que bom que estás bem disposta para recomeçar aqui as atividades. Fico feliz em saber que todos os teus parentes no exterior estão bem. Pensei muito em ti e neles por ocasião do acidente com o avião da Spanair e procurei acompanhar o notíciário mas não tive tantos detalhes, nem sabia que 79 das vítimas eram canários. Meu beijo.

dácio jaegger disse...

E o espetáculo continua, é a palavra de ordem quando um alguém na vida circense se vai de inopinado. Há que se recolher as lágrimas por mais que nosso próximo, parente ou amigo seja indispensável a nossos olhos, ouvidos e bocas. Sempre ouvimos o dito dos que nos consolam nos féretros como palavras de conforto. E carregamos de volta para casa a ausência sentida e irreparável do infausto acontecimento. Mesmo porque estamos sempre envolvidos com os que chegaram para a vida e que precisam do amparo, dos ensinamentos que os farão capazes de atravessar o seu tempo no espaço de todos. Ceci, esperamos, seus amigos, que traga ao longo dos meses a experiência vivida na cultura canária; quem não gostosa das descrições dos passeios, da geografia, das curiosidades do modo de viver? Estou curioso de minha parte. Bjs

Roseane, disse...

Que bom!!!

Zeca disse...

Cecí!

Feliz com seu retorno, feliz com nosso reencontro! Tantos meses sem notícias, agora espero-as aos borbotões, com todas as suas venturas e aventuras, observações, experiências, paladar, olfato, visão, enfim... tudinho! Tin-tin-por-tin-tim. Beijos. Saudades.

Márcia(clarinha) disse...

Querida!!
Feliz seja seu retrono, felizes estamos por isso.

Cada viagem uma experiência fantática, um acúmulo de grandeza e valores.

Lindos dias, flor
beijos

Lino disse...

Bom saber que idas e vindas foram tranquilas, Ceci. E é sempre bom tê-la de retorno.
Bem vinda.

Tom Grace disse...

Olá, querida!
Ler-te tão intensa em cada detalhe me confunde. Estás aqui, mas não chegas-te? Ou chegas-te e lá ainda estás?
Bom mesmo é que existas.
Carinho sempre, da Aramar.

loba disse...

Minha amiga querida! Muitas saudades de vc, viu?
Apesar deste triste e lamentável acidente, estou vendo que a viagem rendeu belos frutos. Seu texto está lindo e, me parece, grávido!
Espero que venham outros, com narrativas da cultura e da gente canária e com suas aventuras!
É muitobom te ler de novo, viu?
Beijãozão

Ceci disse...

Amigos,
Obrigada pela visita de vcs, que sem a leitura-espelho-diálogo, não teria eu condição de estabelecer algum parâmetro.
Estou ensaiando outros textos, daqui a pouco algo poderá ser exposto.
E felicidades para cada um,
abraços de coração.