quinta-feira, 29 de novembro de 2007

EDUCAÇÃO: depoimento de um estudante

Conhecendo o professor e terapeuta Luiz Célio, e sua atuação profissional, tomei conhecimento do artigo do jovem jornalista, publicado no seu blog, o qual, com sua autorização reproduzo aqui, com a intenção de contribuir para as reflexões sobre o tema focalizado por Ikeda, no blog: www.cadernodematerias.zip.net Luiz Célio: Bem mais que um professor; um amigo. Como muitos jornalistas fazem em suas colunas, eu venho com muita humildade falar de um educador, de um psicólogo, de um sociólogo; na verdade eu vou falar de um amigo. Nos dias atuais não é fácil encontrar educadores centrados na realidade do aluno. Mas se deparar com professores “donos da verdade” e preocupados em só reprovar e humilhar aqueles que não comungam com seus ideais individualistas não é difícil ver nos muitos corredores da educação. No entanto, a exceção salva a categoria do terrível pecado da não preparação de muitos docentes. No meio das muitas desorganizações e da pouca seriedade existentes no campus III da UEPB em Guarabira, eu procurei desde o dia em que entrei para o corpo discente da instituição, analisar e conhecer melhor os mestres do saber. Busquei entender e ser entendido e confesso que me deparei com muita gente boa e muita gente ruim. Infelizmente é assim, o joio e o trigo por enquanto andam juntos naquele lugar que chamamos de universidade. É preciso ter jogo de cintura para driblar os lances que determinadas figuras dão no campo educacional. Eu sou feliz por driblar bem, em saber fazer amigos e considerá-los no meu dia-a-dia. Quando comecei a estudar com Luiz Célio Rangel (Psicologia) eu ouvi falar muito das exigências do referido mestre. Determinados colegas me relataram temer apresentar seus seminários. E assistir às palestras de Luiz Célio para alguns estudantes era um tormento. Realmente, eu me espantei com a forma como Luiz Célio leciona. Foi totalmente o oposto do que haviam me falado ao seu respeito como professor universitário. Hoje, ainda tenho o prazer de tê-lo como instrutor nas aulas de quarta-feira, e sinto que a turma também tem crescido com as idéias construtivas do Psicólogo. Durante o seu horário, nós, podemos expressar opinião, discordar ou concordar com seus comentários, relatar experiências, em fim, temos a verdadeira liberdade de expressão. De certo, Luiz não permite gracinha durante suas aulas, a seriedade prevalece, porém, tem momentos muito engraçados entre aluno e professor que nos fazem muito bem. Outra coisa interessante, é que Luiz Célio sempre pára para ouvir nossos reclames, pelo menos é assim comigo. Eu já tive a oportunidade de conversar com o mesmo sobre vários problemas relacionados a UEPB. Isso não acontece com todos os professores do campus. Muitos deles só conhecem o aluno no recinto escolar, por isso, eu devo relatar sobre o grande profissional que sempre pára para ouvir, e está disposto a emitir opinião sobre questões apresentadas pelos discentes. Eu recordo que nos primeiros dias de aula com Célio, tivemos um certo confronto de idéias. O assunto do momento estava ligado à teologia, história e ciência, e eu sendo evangélico, dei um parecer sobre uma colocação do docente, ao mesmo tempo eu e alguns da sala fomos repreendidos cientificamente. Conhecendo um pouco da bíblia eu tinha que defender a minha fé, mas eu não queria misturar religião com ciência, que para mim tem tudo a ver. Saudades desse inicio. Foi muito bom o nosso debate. A informação que me chega é que vão transferir LC para o setor de Pedagogia. Eu já vou perder outros amigos professores pelo fim do contrato, e agora estão querendo levar outro amigo para um departamento distante do nosso. Devo reconhecer que é pela sua competência, mas a sua ausência em nossa turma não nos faz felizes. Vou terminar, dizendo que não merecemos perder o professor para o curso de Pedagogia que está em baixa na referida instituição. E o professor também não merece deixar uma turma que o considera e admira sua forma de ensinar. Eu não mereço e não posso perder esse amigo que sempre soube compreender as diferentes ideologias dos alunos. É verdade, encontrar professor independente dentro da universidade é uma tarefa difícil, e pagar os diversos conselhos e favores, não é tão fácil assim. Eu encontrei não só um professor; encontrei um amigo. //************************************* Dedico este texto ao professor Luiz Célio Rangel. Escrito por Joseilton Gomes (Ikeda) às 10h39[ 22/11/2007

7 comentários:

Drikaflor disse...

Olá,querida...que alegria sua visita....você é muito especial.
Adorei o texto, como professora é uma dádiva lê-lo.
beijão
Drikaflor

Anônimo disse...

somos obrigados a conviver com cada coisa...
a desvalorização e a inversão de valores... é terrível.
bom, ainda bem que temos pessoas como você.

te beijo

Taís

Jota Effe Esse disse...

Ceci, falaste tão bonito lá no meu blog, que venho te agradecer, e te parabenizo como paraibana, já que a Universidade Federal da Paraíba e a Puc do Rio criaram a TV Digital brasileira, em vez de adotarmos uma tecnoligia inadequada. Meu beijo.

Jota Effe Esse disse...

Volta pra dizer que já havia deixado um comentário que não foi, sobre a correção da transferência do comentado professor para a Pedagogia, que está em baixa, e por isso mesmo precisa de alguém como ele. Meu beijo.

Rafaela Martins Namorato disse...

Olá Ceci!
Muito obrigada pelo carinho da sua visita! Fiquei muito feliz em recebê-la...
Seu blog é simplesmente uma benção.... perfeito!

Fique a vontade quando quiseres voltar!
Beijo enorme.

Márcia(clarinha) disse...

Muito bom poder ler o que escreve e concordar com seu raciocínio...parabéns querida!
dias lindos
beijos

lgresende disse...

Um belo depoimento, que mostra respeito pela pessoa e pelo que ela ensina. Oxalá todos os alunos fossem assim.